PERFIL CLÍNICO E EPIDEMIOLÓGICO DAS MENINGITES DIAGNOSTICADAS EM UM HOSPITAL TERCIÁRIO NA AMAZÔNIA OCIDENTAL DOS ANOS DE 2015 A 2018

  • Lavínia Ferreira Dias
  • Edivanei Siqueira da Silva
  • Mariana Ayres Henrique BRAGANÇA
  • Evelyn de Souza Pinheiro Moreira
  • Sergio de Almeida BASANO
  • Luís Marcelo Aranha Camargo

Resumo

A meningite é um processo inflamatório das membranas que envolvem o encéfalo e a medula espinal. Tem como agentes etiológicos vírus, bactérias, fungos, protozoários, helmintos e até mesmo mecanismos não infecciosos. Trata-se de uma doença de notificação compulsória, capaz de produzir surtos, e está relacionada a alta morbimortalidade.  Este estudo tem como objetivo avaliar o perfil clínico, epidemiológico, etiológico e desfecho dos pacientes diagnosticados com meningite no Centro de Medicina Tropical de Rondônia (CEMETRON) dos anos de 2015 a 2018. Constitui-se de um estudo descritivo, observacional, cuja coleta dos dados é baseada nas fichas de notificação de meningite do Sistema de Informação de Agravos de Notificação do Núcleo de Epidemiologia do CEMETRON. Foram inclusos no trabalho 127 pacientes diagnosticados com meningite nos anos de 2015 a 2018, com predominância do sexo masculino (62,2%) na faixa etária dos 20 a 40 anos (44,9%), de raça parda (74%), residente do município de Porto Velho (48%), previamente hígido (56,7%), com apresentação clínica de cefaleia (90,6%), febre (78,7%), vômito (69,3%)  e rigidez de nuca (55,1%), de etiologia bacteriana (79,5%), cujo agente, majoritariamente, não foi identificado (66,3%), diagnosticada através da quimiocitologia do líquor (28,3%) com  letalidade de 15%

Publicado
2021-10-07
Seção
Artigos Originais