MÉTODOS DE DIAGNÓSTICO DA LEISHMANIOSE CANINA

REVISÃO DE LITERATURA

  • Graciele Pereira Costa
  • Danielle Pereira Costa Silva
  • Diana de Oliveira Azevedo Carvalho Rocha
  • Paulo Henrique Gomes Teixeira

Resumo

A Leishmaniose Visceral Canina (LVC), também conhecida como calazar, é uma doença infecciosa causada por protozoários pertencentes ao gênero Leishmania, da família Trypanosomatidae. O diagnóstico da LVC é complexo, tendo em vista a variedade de sintomas da doença, da falta de especificidade dos sinais clínicos e os custos dos exames. Objetivou-se com a realização deste estudo relatar as alterações laboratoriais encontradas com mais frequência em um animal positivo para a doença e avaliar os diferentes métodos de diagnóstico, por meio de uma revisão de literatura, mostrando as vantagens e desvantagens de cada método. Com base na literatura, animais positivos para a doença podem apresentar alterações hematológicas, quase sempre com alterações renais, onde a hiperproteinemia, hiperglobunemia e hipoalbuminemia são alterações comumente encontradas. Atualmente, existem vários exames para diagnóstico, entre eles, o teste rápido imunocromatográfico para triagem, métodos sorológicos, exame parasitológico, imuno-histoquímico e a reação em cadeia da polimerase (PCR). Por se tratar de doença complexa, com sintomas semelhantes a outras patologias e pela grande quantidade de animais portadores assintomáticos, conclui-se que é necessário associações entre várias técnicas de diagnóstico, uma vez que nenhuma delas é 100% sensível.

Publicado
2021-05-25
Seção
Artigos de Revisão