NEOPLASIAS MALIGNAS EM LÁBIO

CARACTERIZAÇÃO CLÍNICA DE 15 ANOS NO NORDESTE BRASILEIRO

  • Amanda Claudino Gomes
  • Juan Vitor Costa Leite
  • José Fernando Oliveira Dantas
  • Andressa Cavalcanti Pires
  • Hellen Bandeira Pontes Santos

Resumo

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o câncer é considerado a segunda maior causa de morbidade e mortalidade no mundo. Segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA) estima-se que no ano de 2014 ocorreram 15.290 casos de câncer bucal no Brasil. O país ainda enfrenta problemas com infraestrutura sobre tal patologia, sendo este um desafio para profissionais e acadêmicos interessados na área. Em razão disso, o objetivo deste trabalho é caracterizar o perfil clínico e epidemiológico de neoplasias malignas em lábio, tendo como foco a região nordeste do Brasil em um período de 15 anos. Foi realizado um estudo observacional, transversal, baseado em dados retrospectivos, analisando dados do INCA referentes a características gerais dos pacientes (faixa etária, sexo, raça/cor, profissão, histórico de câncer), fatores exógenos (tabaco, álcool, radiação solar) e fatores relacionados ao encaminhamento (SUS e não SUS). Foram analisados dados de 1.870 indivíduos com neoplasias em lábio em um período de 15 anos, desses, 1254 eram do sexo masculino, 475 tinham entre 70 e 79 anos, 1125 dos indivíduos eram pardos e 780 trabalhavam expostos ao sol. Quanto à prevalência de hábitos deletérios, 516 relataram o uso de tabaco, e 281 relataram o uso de álcool. Ademais, 432 indivíduos entrevistados não apresentavam histórico familiar de câncer e 1.433 foram encaminhados pelo SUS. Após a análise dos dados coletados, enfatiza-se a importância de medidas necessária para a prevenção do câncer de lábio, principalmente em estados com maiores atividades relacionadas ao turismo e atividades laborais com exposição ao sol.

Publicado
2021-05-25
Seção
Artigos Originais