PROPOSTA DE CONSULTÓRIO FARMACÊUTICO ESPECIALIZADO PARA TUBERCULOSE

  • Janderson Rodrigues Lima Centro Universitário São Lucas
  • Sandy Stephany Bentes PRATA Centro Universitário São Lucas
  • Luciene Oliveira da SILVA Centro Universitário São Lucas
  • Alice Herolane Monteiro da SILVA Centro Universitário São Lucas
  • Wendel Calebe Peres de CARVALHO Centro Universitário São Lucas
  • Paloma Christine Rodrigues CABRAL Centro Universitário São Lucas
  • Rita de Cássia Alves COSTA Centro Universitário São Lucas

Resumo

No ano de 2020 foram confirmados cerca de 83.678 casos de tuberculose no Brasil, em Porto Velho foram registrados 457 casos ao todo em Rondônia foram confirmados cerca de 573 casos. Apesar da patologia se estender por décadas, a mesma ainda ocasiona óbitos em uma grande parcela de pessoas em todo o mundo. As motivações vão desde notificações mal relatadas até a desistência do tratamento, ocasionando transtornos na saúde pública de cunhos técnicos e financeiros. Dentro da equipe multidisciplinar que atua no combate à tuberculose, o profissional farmacêutico sempre foi reconhecido pelo seu domínio técnico-científico de todo processo de fabricação, distribuição e dispensação dos medicamentos, entretanto até pouco tempo atrás era inserido de forma parcial no cuidado ao paciente. O abandono do tratamento por parte de pacientes com tuberculose é atualmente um dos maiores problemas para o enfrentamento da doença, pois resulta em resistência bacteriana, tratamento mais longo com maior custo para os cofres públicos. Nesse contexto, o objetivo é demonstrar os serviços ofertados pela atenção básica de saúde, a partir do consultório farmacêutico especializado em pacientes com tuberculose. O Consultório Farmacêutico Especializado vai atuar visando o atendimento farmacêutico humanizado onde o contato inicial com o paciente deverá ocorrer de forma a reunir informações úteis para consulta fazendo com que se crie um elo entre o paciente e o farmacêutico. Análise da prescrição: tendo confirmado os dados do paciente como idade, peso e alergia, o farmacêutico verifica o medicamento, dose pedida, rasura e data errada. Avaliação do estado físico do medicamento, incluindo a data de validade. Orientação ao paciente quanto ao modo de uso do medicamento e seus efeitos adversos. E por fim, a Intervenção Farmacêutica, ocorrerá se for identificado problemas relacionado ao medicamento – (PRMs), onde o atendente deverá seguir o seguinte protocolo: abertura de formulário de intervenção farmacêutica com os dados do paciente, assinalando se o (PRMs) e causado por interações medicamentosas, erros de dispensação, falta de adesão ao tratamento, erros de prescrição, efeitos adversos graves, tendo todos esses dados o atendente deverá entrar em contato com prescritor para que seja sanado o problema, caso não seja possível o contato com o prescritor será disponibilizado a segunda via do formulário de intervenção farmacêutica para o paciente para que ele mesmo faça esse contato. O ciclo de atendimento se manterá com o acompanhamento farmacêutico, podendo ser via telefonema ou mensagem diária ao paciente, sempre dispondo de orientação necessária para o não abandono do tratamento. Mediante ao exposto, conclui-se que o consultório farmacêutico especializado se diferencia dos demais da rede pública de saúde se valendo de um atendimento humanizado centrado nas necessidades farmacoterapêuticas do paciente desde a sua fase inicial até sua finalização, contribuindo para a diminuição de ocorrências negativas à saúde pública derivadas do tratamento da tuberculose.


 


PALAVRAS-CHAVES: Consultório. Atenção Farmacêutica. Tuberculose.

Publicado
2021-09-22