REPENSANDO A CIÊNCIA E A INOVAÇÃO

Uma releitura do fenômeno das startups pelas perspectivas Estruturacionista e da Teoria Ator-Rede

Resumo

Este artigo investiga o fenômeno das startups, empreendimentos tecnológicos cada vez mais presentes em nosso cotidiano, por perspectivas teóricas que permitem uma reflexão crítica a respeito do próprio fazer ciência e promover inovações, estas especialmente quando deles oriundas. Para tanto, o estudo vale-se de revisão de literatura, reunindo e explicitando, em um primeiro momento, reflexões centrais quanto ao tema, para, posteriormente, adentrar na análise do fenômeno pela ótica da Teoria Ator-Rede, de modo a sugerir a compreensão da inovação produzida pelas startups como resultado de um processo em rede de atores humanos e não-humanos, que se alinham por meio de compromisso sociotécnico, para a formação de artefatos tecnológicos, fechando as controvérsias em caixas-pretas. Compreendido o processo, a pesquisa ainda aponta para as consequências dessas inovações, muitas das quais impremeditadas, mobilizando o aparato teórico da Teoria da Estruturação, conferindo à análise reflexões críticas socioambientais, não se limitando a aspectos econômicos, como muitas vezes é de praxe.

##submission.authorBiography##

##submission.authorWithAffiliation##

Mestre em Desenvolvimento Regional pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Bacharel em Direito pela Universidade Federal do Paraná. Professor do Curso de Bacharelado em Direito do Centro Universitário de Pato Branco (UNIDEP). E-mail: murilo.garbin@unidep.edu.br

Publicado
2022-07-21